Novo processo de degradação de resíduos da indústria de papel e celuloseRESUMO: A tecnologia consiste em um novo processo de fotodegradação de compostos organoclorados, rejeitos do clareamento do papel. A degradação destes compostos tóxicos para a natureza é realizada por meio da mistura de álcool mais um composto básico e exposição à luz ambiente ou artificial.

DESAFIOS E OBJETIVO: Por muito tempo, os compostos organoclorados têm sido considerados como grandes responsáveis pelos problemas de contaminação ambiental, principalmente porque esses compostos são, em geral, altamente tóxicos, de difícil degradação natural e tendem a se bioacumular no meio ambiente. A tecnologia realiza de forma eficaz a degradação dos compostos organoclorados provenientes da indústria produtora de papel. Seu objetivo é a descontaminação de rejeitos da indústria de celulose.

SOLUÇÃO: Diferencia-se de outras técnicas por ser um processo que tem baixo consumo energético e não usa reagentes caros, catalisadores, nem temperaturas elevadas. Elimina o rejeito de glicerina produzida pelo biodiesel, que é um problema atualmente, pois não há uso para esta substância.

APLICAÇÕES: A tecnologia é aplicada no tratamento de rejeitos organoclorados, principalmente provenientes da indústria de produção de papel.

OPORTUNIDADES: Parceria e/ou transferência de tecnologia

OUTRAS INFORMAÇÕES: Proteção solicitada por patente PI0900688-5 - Processo de fotodegradação de compostos aromáticos organoclorados

CONTATO:
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Telefone: (21) 3373-1788 / 3733-1793

BAIXAR VERSÃO EM .PDF

AGÊNCIA UFRJ DE INOVAÇÃO
Rua Hélio de Almeida, s/n - Incubadora de Empresas - Prédio 2 (salas 25 a 29)
Cidade Universitária | Ilha do Fundão | Rio de Janeiro - RJ | 21941614
21 3733-1793 | 21 3733-1788

              facebook        linkedin
 twitter 
UFRJ Agência UFRJ de Inovação - PR2 - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ